Notícias

A Tarde Online 17/04/2008

Dança tribal marca abertura dos Jogos Indígenas

A dança tribal conhecida por diversas tribos como 'Toré', e pelos pataxós como 'Awê', marcou a solenidade de abertura da oitava edição dos Jogos Indígenas da Aldeia Pataxó Coroa Vermelha, na tarde desta quinta-feira, 17.

A dança foi realizada após as apresentações de toda as equipes e os discursos das autoridades, patrocinadores e lideranças indígenas.

Apresentaram-se as equipes Tapurumã, Aripoti, Naire Xoran, Tirry Aponanri, Turutari, Tupã Torotê, Jovens Esperança, Paranan, Torotê, Kijetechavê, Aroeira, Mata Medonha, Reserva da Jaqueira, Jopek, Naing Gãnesê. As equipes representavam as tribos Kiriri, vinda da região de Banzaê, nordeste da Bahia; Tupinambá, dos municípios de Ilhéus e Olivença; Pataxó Hãhãhãe, originária do município de Pau Brasil e Pataxó, da região que abrange os municípios de Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro e Itamaraju.

Entre os presentes, representando o governo do Estado, compareceram Rogério Augusto Pinto, representando o secretário de Agricultura estadual Geraldo Simões; Reginaldo Sacramento, diretor de Fomento aos Esportes da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb); Anacleto Antonio da Silva, gerente da Fundação Nacional do Índio (Funai) para o Extremo Sul da Bahia, além de Eunice Brito, responsável pelo setor de Relações Institucionais Indígenas da Veracel Celulose, empresa patrocinadora.

FORTALECIMENTO - Para o cacique Aruã, da Aldeia Pataxó Coroa Vermelha, a expectativa do povo pataxó é poder receber as outras etnias para promover o fortalecimento da integração entre as diferentes comunidades, tendo como incentivo à prática do esporte e a valorização da cultura indígena.

"As equipes fizeram uma apresentação muito bonita e deram a sua contribuição para o enriquecimento de um evento como este, que consiste principalmente em um encontro, uma comunhão. Também convidamos os não-índios para apreciar esses jogos e poderem compartilhar das nossas culturas, o que contribui para o fim de todas as formas de discriminação", afirmou.

O gerente da Funai, Anacleto Antonio da Silva, por sua vez, acredita que o evento tem uma significação bastante especial para a etnia pataxó.

"Embora haja outros povos presentes, para eles é muito importante porque são os anfitriões de um encontro entre culturas distintas, mas que fazem parte de uma mesma nação. A simbologia é muito grande. A abertura foi linda, prestigiada pelas autoridades do governo do Estado e executada por tribos muito ricas do ponto vista da sua identidade cultural", declarou.

PARCERIA - O representante do órgão de proteção ao índio salientou que o papel da instituição consiste em estar sempre presente no dia-a-dia dos índios e ser parceira em todos os eventos realizados com a finalidade de contribuir para todas as suas formas de expressão.

De acordo com o diretor de Fomento aos Esportes da Sudesb, Reginaldo Sacramento, o governo do Estado tem como meta ampliar os trabalhos que beneficiem todas as tribos, povos e raças que compõem a nação brasileira.

"Pretendemos nos concentrar em apoios a todos esses grupos étnicos, não apenas os indígenas, mas também a outras etnias, como os quilombolas, por exemplo. Quanto aos Jogos indígenas da Aldeia Pataxó Coroa Vermelha, é um evento que estamos apoiando e que representará o início de outras iniciativas semelhantes direcionadas a esses povos, como a Conferência Estadual do Esporte dos Povos Indígenas e, logo depois, os Jogos Estaduais Índígenas", disse o diretor da Sudesb.

Ele acrescentou que um convênio foi firmado entre o governo do Estado e a Aldeia Pataxó Coroa Vermelha, no qual foi destinada uma verba de R$ 32 mil para a realização dos Jogos.